Livro: A sutil arte de ligar o f*da-se

By Blog Diário Galáctico - dezembro 03, 2018



Livro: A sutil arte de ligar o f*da-se
Autor: Mark Manson
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 244
Ano: 2017
Gênero: Autoajuda


Olá, pessoal, tudo bem com vocês?

A resenha de hoje é sobre este livro considerado de auto-ajuda que está fazendo sucesso nas livrarias. Ele é bem diferente dos demais e com uma leitura fácil. O autor tem boas ideias sobre muitas coisas importantes da vida e as expõe de forma sincera e aberta.
Por vezes, podemos até confundir sinceridade com prepotência, mas ainda assim, a mensagem final é muito boa e válida.


A leitura trata sobre felicidade, resolução de problemas, sentimentos, valores e etc. Mark diz que muitas vezes nossos conceitos de felicidade são tão ilusórios, que criamos muitas expectativas sobre as coisas, mas no final nunca conseguimos ser felizes de verdade porque toda vez que alcançamos o que sonhávamos, nossos parâmetros de vida mudam.
Ele diz que é importante não nos sentirmos especiais. O autor explica sobre como nos sentirmos tão especiais pode fazer com que achemos que o mundo está errado e sempre nos colocaremos como vítimas.


O autor se coloca mais próximo de nós leitores, quando fala mais informal e usando bastante palavrões (põe palavrão nisso, hein!). Ele fala também sobre valores da vida, nomeando-os de "valores escrotos", que são: prazer, sucesso material, estar sempre certo e otimismo implacável e o quanto seguir esses valores podem prejudicar nossas vidas. Ele fala também sobre nossas escolhas, sobre responsabilidades, culpas, fracassos, morte e muitas outras questões.


Eu achei o livro bom, mas não concordei em alguns pensamentos (não dá pra dizer aqui, só numa mesa de bar). Como falei anteriormente, no início tive a impressão de estar lendo uma leitura prepotente, mas durante o livro pude sentir que mudou um pouco. Percebi que o autor usa vários ensinamentos do budismo, mas diferentemente da maioria dos livros de auto-ajuda que fundamentam seus livros nestes ensinamentos, Mark não se apropria das ideias e deixa bem claro em várias partes que seu livro tem sim base no budismo (como quando ele conta a história do príncipe que se tornou Buda, ou fala sobre a morte e etc). E como livro de auto-ajuda, achei inovador e bacana, trás bastante mensagens válidas!


Espero que tenham gostado,

Bjus,

Nath com th.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Recent Posts